Filiada, sua senha permite consultar áreas restritas.
Profissionais e Estagiários de Publicidade.  
Cadastrem seu currículo, clique aqui.

Existimos para proteger os direitos e interesses individuais ou coletivos da categoria perante as autoridades como um todo

Canal RSS

 
logomarcas
Manifesto da Propaganda

[mais]
 
Pesquisa Nacional de Agências de Propaganda

Sinapro-Goias apresenta Pesquisa Nacional
com Perfil atual da Agencias de Propaganda.

O Sindicato das Agencias de Propaganda do Estado de Goias-Sinapro
em Parceria com a Fenapro (Federação Nacional das Agências de Propaganda)
apresentaram durante evento, o resultado da Pesquisa Nacional com o TEMA:
“A Propaganda em Análise”, aconteceu nessa quinta-feira (17) numa promoção
do Sinapro Goiás com apresentação de Alexis Pagliarini, Superintendente
da FENAPRO,publicitário que atuou na DPZ, Loducca, Honda, Coca Cola e WTC.

 

foto de Silvio Miranda

[mais]
 
Decálogo da Propaganda

 
Contribuição Sindical Patronal

 
Agências: Redução de empregos e salários em São Paulo
 
 ALEXANDRE ZAGHI LEMOS| »
24 de Novembro de 2015• 
 
  
Com exceção dos sócios das empresas, 40% dos profissionais de agências recebem salários de até R$ 3 milCrédito: Reprodução
 
Um mercado dirigido por homens, que têm em média 44 anos, e paga salário médio de R$ 5.623 mensais. Esse é o retrato do setor segundo a segunda edição da pesquisa Perfil das Agências de Propaganda do Estado de São Paulo, realizada pela Toledo & Associados para o Sindicato das Agências de Propaganda – Sinapro-SP. Entre julho e setembro foram feitas 366 entrevistas via internet com donos e executivos de agências de todo o estado, o que revela um maior interesse pelo levantamento, que no ano passado ouviu 340 pessoas. Dos respondentes de 2015, 43% atuam na capital e 57% no interior.
 
A maioria das agências nas quais atuam os entrevistados é de pequeno e médio porte, sendo que 59% do total é optante do Simples Nacional, ou seja, tem receita bruta de até R$ 3,6 milhões anuais. E a grande maioria dos executivos entrevistados é homem (78%). Considerando as grandes agências da capital paulista que faturam mais de R$ 50 milhões anuais, o total de respondentes mulheres diminui mais ainda, chegando a 8%.
No total, as 366 agências ouvidas empregam 7.856 profissionais (exceto sócios), um número 24% menor que os 10.318 funcionários e colaboradores declarados pelas 340 agências entrevistadas na primeira edição da pesquisa, no ano passado. A média de pessoas por agência, que inclui funcionários e sócios, passou de 30 para 24. Além disso, a média salarial aumentou apenas 4,4%, índice abaixo da inflação no período. “Houve um achatamento das faixas salariais e uma redução de quadros. Hoje, quando uma agência substitui um profissional, contrata com menor salário para o mesmo cargo”, analisa Geraldo de Brito, presidente do Sinapro-SP.
 
Em 2015, as participantes somam massa salarial mensal de R$ 44,3 milhões. A maioria dos funcionários (80%) é empregada via CLT – modalidade que cresce nas grandes agências da capital para 93%. Excetuando-se os sócios das empresas, no geral 40% recebem salários de até R$ 3 mil; 29% ganham entre R$ 3 mil e R$ 6 mil; 16% têm salários de R$ 6 mil a R$ 10 mil; e 15% recebem mais de R$ 10 mil. Nas agências grandes da capital os salários são maiores: 27% ganham mais de R$ 10 mil; 22%, entre R$ 6 mil e R$ 10 mil; 27%, entre R$ 3 mil e R$ 6 mil; e 24%, menos de R$ 3 mil (veja quadro abaixo com as médias Salariais por região).
 
 

  

+Crédito:Sindicato das Agências de Propaganda - Sinapro (SP)
 
Os custos trabalhistas, que incluem salários, encargos e benefícios, representam, em média, 39% do custo total das agências do estado, mas entre as grandes da capital esse índice sobe para 62%.
A partir dos resultados da pesquisa, o Sinapro-SP faz uma projeção de que as mil maiores agências do estado de São Paulo somam receita bruta de R$ 6 bilhões e empregam cerca de 20 mil profissionais, o que corresponde a uma produtividade média anual de R$ 300 mil.